Topo
Luciana Bugni

Luciana Bugni

"Gado": sem curtida no Instagram, tem gente que não sabe do que deve gostar

Universa

31/07/2019 04h00

A personalidade dos jovens se baseiam no que os outros curtem? (iStock)

O adolescente chega meio ressabiado, celular nas mãos, aquele olhar de insatisfação. "Que saco que não tem mais curtida no Instagram". Eu me apressei em dizer que dava para ele ver as próprias curtidas, bastava clicar no nome da pessoa etc. E que não precisava sofrer tanto assim. Ele sabia, claro. Que ousadia tentar explicar para alguém de 18 anos alguma novidade da rede social…

O que estava incomodando o garoto era não poder ver as curtidas dos outros e assim saber o que é legal. É isso mesmo. Sem saber o que todo mundo gosta, ele estava achando muito difícil navegar na rede pois teria que decidir sozinho o que curtir. E ele nunca decidiu isso sozinho, oras. Desde que está no Insta, há uns cinco anos, o que as pessoas curtem determina o que é bom ou não é. Melhor exemplo do que é ser "influenciado".

Veja também

A gente usa tanto o termo "influencer" que nem percebe o quanto ele é perigoso. Isso atrapalha a formação de personalidade de quem está ali todo dia crescendo com os olhos grudados num feed muito rápido. O menino de 18 anos estava muito descontente porque a atitude simples de terminar com a exposição do número de curtidas das fotos afetava diretamente as decisões dele. Lógico que a questão não termina no jovem. Tem muito marmanjo que só curte o que todo mundo curtiu. Como se a opinião da massa desse o aval para gostar ou não de algo.

Fiquei pensando quando eu aprendi o que eu gostava. Certamente influenciada por algum amigo, pela MTV e pelo rádio, pelas revistas que eu lia, pelos meus artistas favoritos. Nessa época, gostar só porque todo mundo curtia não tinha cabimento — eu até fazia o contrário e garimpava bandas e filmes que ninguém sabia que existiam para serem meus favoritos. Chatice, claro.

Mas isso de se basear na aprovação alheia para então aprovar também, lembra o movimento do gado, que só vai para onde todo mundo está indo, sem pensar no assunto. A palavra, aliás, está na moda hoje em dia para representar o lado da polarização política do país. Todo mundo curtiu? Então certamente é bom, pensa o usuário de rede social que se porta como gado.

O problema da postura de gado é que os bichos geralmente são encaminhados pro abatedouro. Eles morrem sem nem entender direito o que aconteceu.

Melhor aproveitar o fim da curtida para pensar bem no que você gosta de verdade. No que faz bem, no que agrada e melhora o mundo. Foi o que eu disse para o garoto de 18 anos. Se ele vai ser influenciado por isso ou não, não sei. 🙂

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do UOL

Sobre a autora

Luciana Bugni é jornalista e escritora. Vive entre quatro rapazes, muitas bolas de futebol e uma gata, descomplicando a vida e parindo ideias. Edita conversas antigas (é cada resposta que a gente poderia ter dado...), cardápios e reportagens na Universa, aqui no UOL. Já trabalhou na “Revista AnaMaria”, no “Diário do Grande ABC”, no “Agora São Paulo” e na “Contigo!” e se especializou em jornalismo feminino popular. Acredita no amor, que mostarda melhora tudo e que as madrastas são uma classe injustiçada pela literatura infantil.

Sobre o Blog

Um olhar esperançoso sobre a geração que está com 30 e poucos anos, recorrendo aos apps de paquera na marra ou tentando salvar o segundo casamento com todas as forças. E enquanto isso, trabalha, cria pessoinhas e faz de tudo para se divertir (desde que o samba é samba é assim).

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{user.alternativeText}}
Avaliar:

O UOL está testando novas regras para os comentários. O objetivo é estimular um debate saudável e de alto nível, estritamente relacionado ao conteúdo da página. Só serão aprovadas as mensagens que atenderem a este objetivo. Ao comentar você concorda com os termos de uso. O autor da mensagem, e não o UOL, é o responsável pelo comentário. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

Luciana Bugni