menu
Topo
Luciana Bugni

Luciana Bugni

Comentários de Silvio Santos não são coisa de tiozão: são crime mesmo

Universa

13/11/2018 04h00

(Foto: Reprodução)

Não é de hoje que a gente comenta por aqui que Silvio Santos exagera na dose da piada. Mas será que não é mais que isso? Depois do episódio de domingo(11), em que ele diz que não abraçaria Claudia Leitte para não ficar excitado, até quem sempre defendia o apresentador teve de admitir que ele passou dos limites. Mas supondo que as mulheres que tiveram que aguentar essas ofensas e constrangimentos quisessem realmente fazer seus direitos e punir o agressor — mesmo sendo ele o dono de um canal de TV –, elas poderiam fazer isso? A resposta da advogada especialista em Direito da Mulher Marina Ganzarolli é que sim.

Segundo ela, os crimes contra a honra, como injúria e difamação, são passíveis de pena de detenção de até um ano e multa, ou reclusão de até 3 anos e multa, no caso da injúria discriminatória. Abaixo estão algumas das últimas frases duvidosas de Silvio Santos: a brincadeira passou mesmo do limite e virou caso de polícia? A próposito, caso essas denuncias se concretizassem, não seria a prmeira vez que  ele se veria enrolado com a justiça.

Veja também

É improvável que as mulheres que foram ofendidas no ar queiram transformar em processo essas situações. Mas é a naturalização de "piadas" como essa que banalizam assédio sexual e até crimes de estupro. Basta pensar que, de quase 500 mil estupros que acontecem por ano no Brasil, apenas 10% deles é notificado à polícia.

Não, não estou dizendo que Silvio Santos chegou perto disso. Só é possível afirmar que o comportamento do homem do baú, ao questionar a roupa de Claudia daquele jeito, faz parte da cultura machista que vivemos.  Minimizar a gravidade disso é contemporizar diversos crimes sexuais. Isso porque parece, em determinado momento, que a culpa é dela mesma por estar usando aquela roupa: um passo para dizer que alguém foi estuprada porque não estava vestida de maneira decente. Ela mesma tenta puxar a saia para baixo para que ele pare de falar. Nem Iris Abravanel, mulher dele que estava na plateia, conseguiu rir da situação.

E, antes que digam que isso é mimimi, vamos aos fatos. As reações de quem passa por esse tipo de crime como depreciação e constrangimento é bem parecida com a das vítimas de estupro mesmo. "Humilhadas, elas ficam nervosas, enfrentam crises de choro, ansiedade, insônia, pânico e evitam voltar ao local onde foram insultadas", diz Marina. Realmente, não dá mais para minimizar, Patrão. Procurado pela reportagem, o SBT afirmou que nem Sílvio e nem a emissora vão se pronunciar sobre o assunto.

Imagina se alguém, num ambiente de trabalho, perguntasse se seu marido terminou com você e por isso você estava se vestindo de determinada maneira?

Parece constrangedor? Foi o que Silvio fez com Claudia Leitte durante a transmissão do Teleton. "Isso pode ser injúria, que é ofender a dignidade e a reputação de alguém. Toda palavra dita na rua com intenção parecida pode entrar nessa classificação. Se trata de um constrangimento verbal com cunho libidinoso", disse Marina Ganzaroli. Fora do contexto, nem é possível notar que se trata de importunação, mas se juntasse o video e testemunhas fica fácil provar que não é um elogio: é agressivo.

E se alguém dissesse que não vai abraçar você pois pode ficar excitado?

Pois isso aconteceu ao vivo na televisão durante a transmissão desse domingo. Ela até tentou contornar, mas Silvio não deixou saída e insistiu na piada. De novo: é injúria por ofender a dignidade e a moral de alguém.

E se alguém insistisse que sua filha de 15 anos tivesse um relacionamento com um rapaz maior de idade e a constrangesse em público?

Aconteceu em 2017, quando Silvio Santos recebeu Maisa Silva e Dudu Camargo em seu programa e sugeriu um namoro entre a atriz de 15 anos e o apresentador, de 19. O Ministério Público chegou a processá-lo, indicando que o animador e dono do canal insistiu na brincadeira com Maisa – enquanto a garota mostrava está bem desconfortável. Além de ser violação à honra e à imagem da jovem , segundo Marina, pode ser considerado um constrangimento e discriminação por gênero, afinal, Silvio é chefe da garota e eles estavam no local de trabalho. Não à toa, o SBT processado pelo Ministério Público do Trabalho para pagar uma indenização de 10 milhões por danos morais à Maisa pelo episódio.

E se seu chefe dissesse que se você fosse mulher dele não sairia de casa com essa roupa?

A gafe foi com Eliana, no Troféu Imprensa. Na tentativa de ser engraçado, ele diz que a roupa não é "decente" ou que "se fosse minha mulher eu não deixava sair assim de casa". Eliana tentou contornar, mas ele prosseguiu, dessa vez mencionando o tamanho dos seios dela. Neste caso, além de injúria por ser ofensivo a sua dignidade, ao fazer um comentário diretamente relacionado ao seu corpo e com conotação sexual, também pode ser entendido como assédio sexual no ambiente de trabalho, pois o Silvio é chefe dela, existindo uma relação de hierarquia.

E se um conhecido seu dissesse, em um compromisso de trabalho, que você está mais gorda do que da última vez, mas seu rosto é bonito?

Foi o que ele disse para Preta Gil em um compromisso: que ela estava mais gorda do que na última vez em que se viram, mas continuava tendo um rosto bonito. "Os crimes contra a honra são quando você diz coisas desmoralizantes para a pessoa, que ofendem sua honra, sua dignidade", explica Marina. Mesmo que a frase esteja escondida atrás de um elogio, existe ali um crime.

 

 

View this post on Instagram

 

Chega!!!! #MexeuComUmaMexeuComTodas #Respeito

A post shared by Monica Iozzi (@monica.iozzi) on

Sobre a autora

Luciana Bugni é jornalista e escritora. Vive entre quatro rapazes, muitas bolas de futebol e uma gata, descomplicando a vida e parindo ideias. Edita conversas antigas (é cada resposta que a gente poderia ter dado...), cardápios e reportagens na Universa, aqui no UOL. Já trabalhou na “Revista AnaMaria”, no “Diário do Grande ABC”, no “Agora São Paulo” e na “Contigo!” e se especializou em jornalismo feminino popular. Acredita no amor, que mostarda melhora tudo e que as madrastas são uma classe injustiçada pela literatura infantil.

Sobre o Blog

Um olhar esperançoso sobre a geração que está com 30 e poucos anos, recorrendo aos apps de paquera na marra ou tentando salvar o segundo casamento com todas as forças. E enquanto isso, trabalha, cria pessoinhas e faz de tudo para se divertir (desde que o samba é samba é assim).