PUBLICIDADE

Topo

Histórico

A incrível vida de Neymar num mundo que, na verdade, tinha Covid, sim

Luciana Bugni

02/09/2020 12h26

Para onde foi essa galera depois da viagem? E com quem conversou? (Reprodução Instagram)

Semana passada eu estava aqui preocupada com a esbórnia de Anitta e Neymar em Ibizia, na Espanha. Até escrevi um texto cheio de inveja: parecia que eles viviam num mundo sem coronavírus em que eu adoraria viver.

Hoje, constato que o mundo em que eles vivem, mesmo sendo ricos e famosos e parecerem se divertir 100% do tempo, também tem coronavírus. O jornal francês L'Equipe noticiou essa manhã que Neymar testou positivo para Covid-19. Eita. A equipe de Anitta disse que o teste da cantora deu negativo nesse fim de semana. Parece que aquele mundo azul do Instagram na ilha estava bem infectado. Pois é, o vírus não deixa mesmo ninguém se divertir sem cobrar um preço depois.

Veja também

Enquanto escrevia o texto na semana passada, mergulhei do universo tiktoker e intagramer de Neymar e Anitta. Me chamou atenção que eles nunca estão de máscara. Eu tentei segurar meu instinto de "patrulheira do contágio" e pensar que eles são ricos, devem estar totalmente testados, não seriam doidos de colocar todo mundo em risco. Mas o que eu percebo com o teste positivo de Neymar? Não estão. Ninguém está. Até a vacina, ninguém estará.

O coronavírus, diferentemente do que a gente quer acreditar, não escolhe idade ou classe social. Não é que sou a patrulheira da quarentena: é o próprio vírus que não poupa quem vacila. Ele está por aí numa patrulha louca, ávido por pegar quem não respeita isolamento, quem sai na rua sem máscara, quem vocês sabem o quê. Ah, você faz tudo isso e não deu nada ainda? Que sorte. Tem muita, muita gente mesmo, que não recebeu a graça da imunidade. É por elas que a gente deve ter o maior cuidado possível.

O grande lance não é Neymar, que segue sendo um atleta (de verdade). O problema é que, para cada pessoa que sai de rolê, existem outras tantas vulneráveis. A gente não sabe de quem Neymar pegou isso, para quem o Neymar passou isso. A gente não sabe para quantas pessoas essas pessoas passaram isso.

Não é sobre ir ou não para a praia. Fazer ou não um churrasco. É sobre tentar ao máximo preservar vidas.

Nada disso me surpreende. Que Neymar se recupere bem rápido. E que a partir de agora passe a reforçar em suas postagens a importância dos cuidados para se prevenir do coronavírus. Tem muita gente nova seguindo o jogador e querendo muito copiar seu comportamento.

Espalhar alegria num mundo fantasioso sem coronavírus é espalhar irresponsabilidade.

A gente pode falar mais disso no Instagram.

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do UOL

Sobre a autora

Luciana Bugni é gerente de conteúdo digital dos canais de lifestyle da Discovery. Jornalista, já trabalhou na “Revista AnaMaria”, no “Diário do Grande ABC”, no “Agora São Paulo”, na “Contigo!” e em "Universa", aqui no Uol. Mora também no Instagram: @lubugni

Sobre o Blog

Um olhar esperançoso para atravessar a era digital com um pouco menos de drama. Sororidade e respeito ao próximo caem bem pra todo mundo.