menu
Topo
Luciana Bugni

Luciana Bugni

Fim de namoro: quanto tempo é educado esperar para mudar a senha da Netflix

Luciana Bugni

15/05/2018 04h00

Se mudarem a senha e eu não puder ver Rita, eu surto (Foto: Divulgação)

Já terminei alguns namoros, já tomei uns pés na bunda. Sabemos: fim de relacionamento nunca é fácil. Mas nada é tão complicado quanto terminar uma relação nos dias de hoje. Porque não basta sentar e dizer "o problema não é você, sou eu". Talvez nem tenha essa parte do sentar. Talvez essa fase seja a mais simples de todas: basta mandar um WhatsApp encerrando as atividades da relação. Falei mais fácil, não menos dolorido.

Antes mesmo que o dispensado tenha pensado no assunto direito e bolado uma resposta à altura, já era. Foi bloqueado. Os palitinhos das mensagens enviadas nunca mais ficarão azuis. O fim do relacionamento moderno fica no ar como as ondas wireless. Não há como colocar uma pedra no assunto. "Mas o que mais haveria para dizer?", me perguntou um jovem dia desses. É tanta coisa que cabe falar no fim de uma relação que eu pensei em gravar um áudio para debater o assunto – e até o faria se não soubesse que áudio é falta de educação.

Outro problema: grupos de WhatsApp. Grupo já é chato quando o casal está de boas. Se terminou então… Quem sai? Quem fica? E, se os dois ficam, quem administra o climão? Quem vai sair com a gente na sexta? Deixar de se seguir no Instagram é delicado e talvez desnecessário – mas ver Stories do ex o dia inteiro fica meio chato também. E, sabemos, esse troço vicia. Apagar as fotos antigas dos dois juntos? Tenha a santa paciência, né? Mas há quem diga que isso é básico na boa conduta pós divórcio.

Por último, mas não menos importante: quando é um bom momento pra excluir a pessoa do Spotify Premium? E da Netflix? Que situação! Quando você tomou um fora e tudo que precisa é ver séries enrolada no edredon e a plataforma diz que você não possui a nova senha? Quem merece uma humilhação dessas? Vê se é momento para voltar a ouvir propaganda no Spotify!

O namorado de uma amiga chegou em casa após o término e a excluiu de tudo. Pegou mal, pareceu ganancioso demais. Afinal, que diferença faria? Outra amiga deixou pra lá: nunca mais trocou a senha ou sequer tocou no assunto. Resultado: meses depois, numa tarde de sábado chuvosa que ela tirou pra maratonar, a surpresa: "esse login está ativo em muitas fontes ao mesmo tempo". Quê? Ela ficou furiosa. Foi pesquisar: o ex tinha passado a senha pra mais uns dois familiares. Naquele momento, em algum canto da cidade, alguém via o "Casamento Grego 2", "Rita", aquela série dinamarquesa, e um suspense tosco. Ela odiava suspense! Ainda ia estragar o algoritmo. Não teve dúvidas: "encerrar todas as sessões abertas". Trocou a senha.

Afinal, ser boazinha com o ex tem limite. Tem dó.

Sobre a autora

Luciana Bugni é jornalista e escritora. Vive entre quatro rapazes, muitas bolas de futebol e uma gata, descomplicando a vida e parindo ideias. Edita conversas antigas (é cada resposta que a gente poderia ter dado...), cardápios e reportagens na Universa, aqui no UOL. Já trabalhou na “Revista AnaMaria”, no “Diário do Grande ABC”, no “Agora São Paulo” e na “Contigo!” e se especializou em jornalismo feminino popular. Acredita no amor, que mostarda melhora tudo e que as madrastas são uma classe injustiçada pela literatura infantil.

Sobre o Blog

Um olhar esperançoso sobre a geração que está com 30 e poucos anos, recorrendo aos apps de paquera na marra ou tentando salvar o segundo casamento com todas as forças. E enquanto isso, trabalha, cria pessoinhas e faz de tudo para se divertir (desde que o samba é samba é assim).