Topo
Luciana Bugni

Luciana Bugni

Querem transformar Anitta e Luana Piovani em rivais. Por quê?

Universa

05/06/2019 04h00

(Reprodução/ Instagram)

Tudo bem, Luana Piovani deu uma provocadinha em Anitta. Quando descobriu que a cantora e seu ex, Pedro Scooby, estavam namorando ela disse qualquer coisa sobre Scooby adorar funk.

Depois postou que um seguidor disse que ela, Luana, usava a cabeça e não a bunda.

Veja também

Anitta sentiu a alfinetada e respondeu dizendo  que chegou muito longe, vindo de família pobre etc. E que não dava para atribuir tudo isso apenas a uma bunda. Fim da discussão.

Quer dizer…

Os fãs de Anitta ficaram tão loucos com a ironia, que passaram a atacar Luana no ringue dos tempos atuais: as redes sociais. Ela até fechou os comentários para evitar novos ataques. Logo a atriz, que se afirma bem-resolvida e lidou com o divórcio de uma maneira positiva, ciente da importância de se dar bem com o ex para que os filhos cresçam mais felizes.

Ela já fez um vídeo explicando que sabe que o ex tem 30 anos, que ele tem que aproveitar a vida da maneira que quiser. E que achava que apenas, podia tê-la avisado que estava namorando. Podia, sim. Quando se tem filhos, a coisa é um pouco mais complicada. As crianças ficam chateadas com o fim do casamento dos pais. E a mãe, se souber o que está havendo, pode ajudar as crianças a lidar com isso.

Luana disse que o filho veio todo preocupado contar para ela sobre o namoro de Scooby. Um amiguinho havia mostrado a foto para ele na escola. Pessoas famosas tem um grau a mais de satisfação para dar aos outros, né? Digamos que não era o método mais correto uma criança ficar sabendo do novo relacionamento do pai.

"Os fãs também poderiam ter maneirado", disse Luana. Podiam mesmo. A gente devia superar essa história de que mulheres que já tiveram relacionamento com o mesmo homem são rivais.

Poxa, 2019, quase todo mundo que a gente conhece é divorciada. Precisa instaurar esse clima de guerra? E pior: torcer para Anitta e Luana se pegarem e puxarem o cabelo uma da outra como Malu Mader e Claudia Abreu, em cena da novela Celebridade, há mais de 15 anos?

Parece uma certa dificuldade em aceitar que relacionamentos acabam e as pessoas podem não se odiar depois disso. Tomara que as duas provem que esse tipo de treta não tem nada a ver.

E que os fãs de um lado e do outro achem mais legal vibrar com mulheres que se dão bem do que incentivá-las a se odiarem.

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do UOL

Sobre a autora

Luciana Bugni é jornalista e escritora. Vive entre quatro rapazes, muitas bolas de futebol e uma gata, descomplicando a vida e parindo ideias. Edita conversas antigas (é cada resposta que a gente poderia ter dado...), cardápios e reportagens na Universa, aqui no UOL. Já trabalhou na “Revista AnaMaria”, no “Diário do Grande ABC”, no “Agora São Paulo” e na “Contigo!” e se especializou em jornalismo feminino popular. Acredita no amor, que mostarda melhora tudo e que as madrastas são uma classe injustiçada pela literatura infantil.

Sobre o Blog

Um olhar esperançoso sobre a geração que está com 30 e poucos anos, recorrendo aos apps de paquera na marra ou tentando salvar o segundo casamento com todas as forças. E enquanto isso, trabalha, cria pessoinhas e faz de tudo para se divertir (desde que o samba é samba é assim).

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{user.alternativeText}}
Avaliar:

O UOL está testando novas regras para os comentários. O objetivo é estimular um debate saudável e de alto nível, estritamente relacionado ao conteúdo da página. Só serão aprovadas as mensagens que atenderem a este objetivo. Ao comentar você concorda com os termos de uso. O autor da mensagem, e não o UOL, é o responsável pelo comentário. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

Luciana Bugni