PUBLICIDADE

Topo

Luciana Bugni

Por trás de um rosto bonito pode ter um boy lixo que não paga a pensão

Luciana Bugni

07/02/2018 05h00

Tem cara que não muda desde os tempos de Ferris Bueller (Foto: Divulgação)

 

A gente gosta dos caras bonitos. De ver, de ficar, de transar, de andar de mão dada na rua. A gente aprende a gostar de caras bonitos desde bem novinhas, com as boy bands, a idolatrar esses moços nos pôsteres das revistas para adolescentes. Com as novelas. Com filmes e séries. Cresce achando que tudo de que precisa é um cara bonito pra chamar de nosso, para viver feliz para sempre.

O que esqueceram de avisar para as moças que viram comédias românticas demais é que por trás de um cara bonito pode existir um boy lixo. Lixo mesmo. Esses caras que não pagam a pensão dos filhos, sabe? Que vão presos por isso. Duas vezes. Que agridem namoradas. Que agridem de novo novas namoradas. E que ganham 1 milhão de reais em reality shows apesar de fazerem tudo isso, porque o público perdoa.

Essas coisas me deixam intrigada. Como que pode um cara que foi condenado por violência contra a mulher ganhar um reality show? Como que pode um cara que não paga a pensão dos filhos ser defendido por alguém? Eu mesma já entrei em briga de WhatsApp para detonar um desses caras. A gente não pode fazer piada com essas coisas. Não tem cabimento achar engraçado qualquer meme que envolva um homem que agride mulher. Se você é homem, fica mais difícil se colocar na pele. Mas pense que ele podia ter agredido sua irmã ou sua mãe. Eu nem consigo entender como um cara desses arruma novas namoradas. Por mais bonito que ele seja, bateu publicamente em uma delas, na frente de testemunhas, e foi condenado por isso.

Mas a gente cresceu ouvindo que os caras bonitos são superiores. Que a gente precisa de um homem gato para ser feliz. Então acaba aceitando coisas absurdas em nome do status, da estética e até do amor — tem sempre aquela esperança de que um boy lixo vá virar um boy bom, né? Mas a verdade acaba estampada na cara da gente na home de qualquer site: um cara desses continua repetindo os mesmos erros, por mais que a gente os perdoe. Um boy lixo segue sendo lixo, por mais bonito que seja e mesmo que peça perdão publicamente. Vale a pena não, gente.

Sobre a autora

Luciana Bugni é gerente de conteúdo digital dos canais de lifestyle da Discovery. Jornalista, já trabalhou na “Revista AnaMaria”, no “Diário do Grande ABC”, no “Agora São Paulo”, na “Contigo!” e em "Universa", aqui no Uol. Mora também no Instagram: @lubugni

Sobre o Blog

Um olhar esperançoso para atravessar a era digital com um pouco menos de drama. Sororidade e respeito ao próximo caem bem pra todo mundo.