PUBLICIDADE

Topo

Luciana Bugni

Signo do mês, Capricórnio é o mais chato do zodíaco

Luciana Bugni

26/12/2017 08h00

Você ficaria com um capricorniano só porque ele é o Jude Law? 00. (Arte: Marília Filgueiras)

 

Você provavelmente nunca se envolveu com um capricorniano. Ops, corrijo, eles nunca se envolveram com você. Mas não é maldade, pobres capricornianos, que nasceram com essa âncora presa aos pés, ficam sempre no chão. Nuvens, sininhos, coisas que a gente  jura que vê e ouve quando está apaixonada? Não. Eles não ouvem, não veem, não sentem, e… não. Se estão alegres, eles trabalham, e se estão tristes, também trabalham. Na dúvida, eles continuam trabalhando.
O rapaz capricorniano é conservador e é teimoso. Ele pode até gostar de você. Ele pode até passar oito noites pensando em você. Mas ele não vai ficar a sério com você por algum detalhe burocrático do tipo… ser casado. Um bom capricorniano é casado. No caso de paixão repentina, hum, bem… deixa para lá. Da última vez que se apaixonou foi a mesma coisa e o melhor que se tem a fazer é não repetir o procedimento. Ou seja, manter-se com o que se tem.

Se um capricorniano coloca uma coisa na cabeça, ele continua tentando. Dizem que conseguem tudo o que querem. A gente duvida, por que eles nem sabem o que querem. Nem a gente, porque eles falam pouco. Mas tem a melancolia, ah, a melancolia. Aquela encantadora melancolia capricorniana que faz com que você pense com sinceridade em largar tudo para pegá-lo no colo. Isso não será possível. Eles acham que estão no controle (até Jesus Cristo é Capricórnio, gente) e ceder a alguém, se entregar… bem, é demais para um bom ser nascido no auge do verão.

Você pode tentar furar o bloqueio convidando o rapaz para um bar. Erro. Eles detestam lugares cheios, som alto, etc. Você pode tentar encantar o rapaz com seus atributos, sejam eles um decote ou o artigo publicado num site de neurociênca. Erro. Eles detestam exibicionismo.

Você pode gastar seu português contando duas mil piadas engraçadas a respeito de si mesma. Erro, amiga. Os serzinhos não acham graça em quase nada.
E mesmo que o decote houvesse funcionado e despertado algum instinto meio irracional… bem… será levado à análise e descartado. A razão prevalece quando falamos de alguém regido por Capricórnio. Nada de oferecer riscos, do tipo uma aventura amorosa daquelas que não se esquece jamais. Bobagem, né?

Mas uma vez arrebatados por você, aí sim você entende o tamanho da encrenca: vira obsessão. Ele vira seu devoto, seu seguidor, sua pedra no sapato. É como se você fosse a zona de conforto segura que talvez seja representada pela mãe deles. Sim, são desses. Não, você não quer um desses.

Mas se mesmo assim cair nessa, bem… boa sorte para você.

Sobre a autora

Luciana Bugni é gerente de conteúdo digital dos canais de lifestyle da Discovery. Jornalista, já trabalhou na “Revista AnaMaria”, no “Diário do Grande ABC”, no “Agora São Paulo”, na “Contigo!” e em "Universa", aqui no Uol. Mora também no Instagram: @lubugni

Sobre o Blog

Um olhar esperançoso para atravessar a era digital com um pouco menos de drama. Sororidade e respeito ao próximo caem bem pra todo mundo.